Google+

Banner

Menu

terça-feira, 3 de novembro de 2015

World of Warcraft: O MMMORPG feito certo, mas desgastado pelo tempo | Análise


Eu acho World of Warcraft incrível, mas é inegável que ele já atingiu seu ápice e está em declínio. Por que? E como mudar isso?

Acompanho WoW (World of Warcraft) desde seu lançamento, jogando mais ou menos dependendo da época, mas sempre gostei muito do jogo, e mesmo quando não estava jogando me mantinha por dentro das novidades de cada expansão. 12 anos depois, o meu interesse, como o da maioria, esfriou.

Esse jogo tem um mundo gigante a níveis absurdos, expandido por cada uma de suas sequências. O sistema de lutas já foi criativo, o número de coisas para fazer é impressionante, as raids, aonde 10 ou mais players tem que trabalhar em equipe com precisão para derrotar cada Boss, são desafiadoras, o número de equipamentos é de uma variedade invejável, e você pode até copiar os que você mais gosta para sobrepor a aparência de um novo que achou feio.

Existem diversas raças e classes, muita coisa para fazer em PvP, easter eggs para procurar, cenários lindos, magias/skills aos montes, um sistema de talentos variado. Em suma, é o jogo de MMORPG mais completo que você vai encontrar, aquele em que realmente evoluir de level até o máximo é só 1% da jornada, o jogo só começa pra valer depois disso (na maioria dos jogos é o contrário e não se tem muito o que fazer depois que você chega no level máximo).



O tempo, no entanto, desgastou o jogo. Por mais que tragam novos bosses as mecânicas sempre acabam se repetindo de uma forma ou de outra, porque não dá pra inovar em 20 bosses por expansão.

A aparência dos personagens está datada, com poucos polígonos e uma aparência cartunesca que não agrada mais quem pode ter visuais mais realistas e bem acabados em jogos de MMO gratuitos (procurem sobre Blade & Soul, Black Desert e Vindictus). Só a aparência dos personagens portanto, é um motivo que afasta quem olha alguma imagem do jogo, e não vejo como acertarem isso fora começar do zero.

O sistema de combate do WoW também é muito travado comparado as novas opções do mercado. Manter um sistema de target e personagens batendo no ar e acertando o boss, em tempos em que o Action RPG, que dá muito mais mobilidade, vem ficando popular (Tera e Vindictus são os melhores exemplos), é outro contra de World of Warcraft hoje em dia.

Sua quantidade de opções, informação, história, etc, que são motivos de orgulho de muitas formas, também joga contra ele, deixando mais difícil de players novatos começarem no jogo a cada nova expansão, que adiciona mais opções de coisas pra fazer, mais leveis para a pessoa evoluir, mais skills para usar, assim como mais cenários para explorar. Eles tem tentado simplificar muita coisa nas últimas expansões, de forma a tentar reduzir a curva de aprendizado de novos players, mas ainda assim é um jogo com coisas demais que você tem que aprender se quiser jogar a sério.

Em suma, na minha opinião, World of Warcraft já foi um jogo muito bom, mas atualmente, mesmo ainda tendo muitos players pagos (metade do que já teve um dia), está na hora de recomeçar e criar um Wow 2, com tecnologias atuais, que não castiguem tanto a placa de vídeo por um gráfico tão fraquinho, e imponham mais realismo e detalhes ao design dos personagens, além de permitir novas mecânicas de jogo. O modelo de combate tem que ser revisto, de preferência adaptando vários aspectos do Action RPG, para aumentar a mobilidade dos personagens e realmente dar uma cara nova ao jogo. O mundo começar do zero, mesmo que eles percam muito do que criaram, vai ser positivo para abrir o jogo para novos players, que não vão mais se sentir tão perdidos. Peguem o que deu mais certo nesses 12 anos de jogo e levem para um novo, mas não tudo. Lógico, inovações fora o que falei são necessárias também.

E essa é minha opinião sobre o jogo atualmente, agora é só alguém da Blizzard ler isso e colocar a mão na massa, hehehe.




****

    Post Mix

Nenhum comentário:

Postar um comentário