Google+

Banner

Menu

domingo, 1 de novembro de 2015

O Último Samurai: Uma homenagem aos samurais, dentro de um bom filme | Crítica


Mais um excelente filme de Tom Cruise, ou mais precisamente, o melhor filme dele pra mim.

Na época em que o japão estava absorvendo a cultura do ocidente um homem é chamado para liderar o exército japonês, agora equipado com armas ocidentais, contra Samurais, que se recusam a aceitar a perda ou descaracterização da cultura deles em nome da evolução. Sem tempo para treinar os soldados apropriadamente, o pelotão é derrotado, e o protagonista (Tom Cruise), capturado pelo inimigo.

O personagem de Tom Cruise é um homem traumatizado pela chacina que foi obrigado a fazer com o povo indígena durante seu tempo no exercito americano, e devido a isso vive bebendo e tendo pesadelos todo noite. Esse filme, portanto, mesmo com toda sua ação, é primariamente uma jornada desse personagem para se reencontrar, conseguir aceitar o que fez e seguir em frente.

O tempo em que o protagonista fica preso na vila dos Samurais pode parecer que vai ser chato, mas acaba se tornando uma das partes mais interessantes do filme, ao menos para quem não tem um profundo conhecimento dos costumes do povo japonês daquela época. É muito fácil se identificar com o personagem de Tom Cruise completamente perdido naquele local, tanto pelos costumes como por não conseguir falar a linguá deles. Ele melhora com o tempo no entanto, como seria natural ficando preso por meses com os Samurai. Só que nesse caso ele não só começa a entende-los, como virá um aliado (isso não é um spoiler, tá na capa do filme!!). Essa convivência com o desconhecido e mudança gradual de opinião do personagem sobre as coisas ficou muito bem feita.

O filme peca um pouco tentando vender os ocidentais, ou mesmo vários japoneses, como vilões em nome de aumentar a empatia pelos Samurais, tornando o conflito menos complicado para o público. Não que eles não mostrem que os Samurai são meio cabeça dura, mas a balança é claramente puxada para o lado deles.

As guerras e lutas de espada são muito bem feitas, com destaque para o final, uma batalha cheia de estratégias, muito emocionante. E apesar de ser um filme com Tom Cruise, não precisa assistir o filme só por ele, o general do Samurais faz um papel tão bom que frequentemente rouba a cena de Tom Cruise, e é tão carismático que consegue convencer o público do lado dos Samurais naquela história toda. Um ótimo filme, recomendado.

Nota: 9/10


****

    Post Mix

Nenhum comentário:

Postar um comentário