Google+

Banner

Menu

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Memento: Amnesia - O ínicio da carreira de Nolan na direção | Crítica


O filme que deixou Christopher Nolan conhecido.

Esse é de certo um filme cabeça em muitos aspectos. Pra começar ele passa a história de trás pra frente, então você tem que ficar pensando o tempo todo pra fazer as ligações lógicas dos acontecimentos, porque a ordem deles, quando não está bagunçada por flashbacks, está com a ordem invertida. Essa é a maior graça, vale dizer.

A história acompanha um personagem que tem a memória resetada todo dia para uma certa data devido a um acidente, e graças a isso ele tem que manter um bando de lembretes do que aconteceu até ali depois do acidente, para se lembrar toda manhã. Sem objetos de confiança que possa manter consigo o tempo todo, ele começa a tatuar o próprio corpo com as informações essenciais que precisa.

A primeira metade do filme é bem confusa, mas as coisas começam a se encaixar com o tempo, e no final tudo não só faz sentido, como um bando de twists são acrescentados. Chamarem a ideia desse filme de brilhante com certeza tem a sua lógica.

O mistério, no entanto, não é tão interessante, ou tem uma resolução complicada, o único complicador real é o estado de constante amnesia do protagonista, que vale dizer, não é lá muito carismático, só cumpre seu papel.

O filme, portanto, vale muito pela sua ideia inovadora, que vai afastar o público mais leigo, que não gosta de pensar muito no que assiste. Já pela história nem tanto, é um bom filme, mas nada demais fora o modo confuso em que a história é contada. Já se você é fã de Christopher Nolan, é um filme obrigatório, porque foi o que tornou ele conhecido.

Nota: 8/10
****

    Post Mix

Nenhum comentário:

Postar um comentário